Sexta-feira, 29 de Agosto de 2008

Hábitos dos consumidores

Fonte: TI Inside

As operações feitas por mobile payment – como é chamado o serviço de pagamento por meio do celular – devem ser a maior aposta das administradoras de cartões e instituições financeiras nos próximos anos, segundo um estudo da TNS InterScience, empresa de pesquisa de mercado. Apresentada por Felipe Menezes, gerente de negócios da companhia, nesta quinta-feira, 28, no Congresso de Cartões e Crédito ao Consumidor, em São Paulo, a pesquisa mostra que o uso do celular como cartão de crédito no lugar do cartão de plástico é um recurso que vem sendo avaliado pelos entrevistados como uma forma segura de pagamento, uma vez que o cartão não aparece na transação, e por consequência impossibilita a sua identificação por outras pessoas.


O principal objetivo da análise foi avaliar o impacto das novas tecnologias de meios de pagamento, como os cartões contactless (sem contato) e o mobile wallet (carteira de pagamento no celular), para mostrar de que forma elas poderiam contribuir para aumentar a participaçãop dos cartões de crédito em relação ao dinheiro.

A pesquisa foi realizada na cidade de São Paulo, com pessoas de 25 a 55 anos, das classes AA, B e C, que possuem cartão de crédito e que se enquadram na categoria classificada como "future shapers" (consumidores informados e ativos que agem como influenciadores). De acordo com o estudo, os principais limitadores de uso dos cartões de crédito são a associação a gastos de maior valor; a sensação de descontrole financeiro; a falta de praticidade; a necessidade de assinatura e apresentação de documentos, além da segurança (clonagem/saques indevidos) e limitação de aceitação no varejo.

Cartões contactless

Diante dessas barreiras, o estudo detectou que a convergência de novas tecnologias surge como alternativa para a transição do dinheiro para o cartão de plástico. Segundo o levantamento da GTI, realizado pela TNS em 20 países em novembro de 2007, 27% dos usuários de celular têm interesse na utilização de mobile wallet nos próximos 12 meses.

Nos Estados Unidos e Europa, a tecnologia contactless teve adesão expressiva, segundo a pesquisa. Ela permite o pagamento de contas de até US$ 25 com o cartão de crédito e o usuário não precisa entregar o plástico ao vendedor, que se limita a digitar o valor a ser pago e a passar o cartão no aparelho de leitura ótica.

No Brasil, o contacless foi a ferramenta mais bem avaliada pelo público jovem. “Eles acreditam que o sistema pode eliminar o constrangimento de passar um valor menor de crédito”, conta Menezes. Mas por não oferecer nenhuma segurança extra (ao contrário dos cartões com chips), o sistema gera desconforto. Embora o cartão não possa ser clonado, existe a possibilidade de qualquer pessoa, além do usuário, poder utilizá-lo.

Uma das conclusões do estudo é que os usuários de cartões com chip no Brasil tendem a ser mais críticos em relação a itens de segurança que garantam a transação financeira. De modo geral, o estudo revela que, entre o público pesquisado — maduro, jovem e possuidores de cartões com e sem chip — há um elevado índice de entendimento sobre a nova tecnologia.

"O estudo detectou que o grau de confiança na segurança do sistema financeiro é maior do que na telefonia celular, ou seja, observou-se um certo desconforto em relação à essa possível dependência", explica o executivo da TNS InterScience.
____________________________________________________________________
Este texto pode ser copiado, distribuído, reproduzido, transmitido ou publicado em outros sites desde que mantidas as mesmas referências ao autor e à este Portal (www.PesquisadorModerno.com.br)

Marcadores:

Leia mais!

Quinta-feira, 28 de Agosto de 2008

Tecnologia inibe fraudes em questionários online

Fonte: Rádio Transamérica SP
Enquanto nos Estados Unidos empresas de pesquisa que vendem painéis de mercado buscam meios de acabar com a participação sem controle de pessoas que se cadastram para responder questionários online em troca de dinheiro, no Brasil, uma empresa de tecnologia web inova e investe na criatividade para que corporações e institutos de pesquisa não caiam nas mãos de impostores. Ou seja, entrevistados que tentam responder diversas pesquisas através de perfis falsos.


Usuários do software gerenciador de pesquisas de mercado QuestManager, desenvolvido pela DomusTec, conseguem aplicar questionários com opções de bloqueios para possíveis tentativas de respostas não confiáveis. Ações que, quando não impedidas, podem gerar tomadas de decisões erradas pela equipe de marketing, aumentando gastos, perda de tempo e até fracassos de produtos e serviços no mercado corporativo.

Alta tecnologia

Segundo o diretor de Tecnologia da Informação da DomusTec, Gustavo Cerqueira, entre as tecnologias presentes no software QuestManager para a aplicação de pesquisas online (quando o entrevistado recebe por email o questionário ou responde às perguntas diretamente no site da empresa) estão: gravação de cookies para evitar a dupla participação através do mesmo computador; filtros que interceptam mais de uma participação com o mesmo IP; bem como o CAPTCHA, sistema que pede ao usuário que digite um código alfanumérico antes de iniciar a pesquisa, um dos melhores e mais eficazes modos de evitar participações seqüenciais e em massa realizadas por robôs.

O software brasileiro também oferece dispositivos inteligentes antifraudes como, por exemplo, a possibilidade de encerrar a pesquisa - por meio de “questões filtro” que aparecerão aleatoriamente em diferentes pontos do questionário. Caso o entrevistado esteja respondendo displicentemente, ele não estará atento ao preenchimento solicitado na “questão filtro” e, conseqüentemente, vai errar a marcação esperada pelo sistema. Nesse caso, a entrevista é descartada automaticamente por conta da resposta incoerente.

“Outro dispositivo do software é a possibilidade de criação de ‘checkpoints’ invisíveis e cronometrados inseridos nas perguntas. Se a pesquisa for respondida em tempo inferior ao estimado pode ser um alerta de que o entrevistado respondeu tudo de qualquer jeito, sem prestar atenção nos questionamentos ou que um robô está sendo utilizado”, completou Gustavo.
____________________________________________________________________
Este texto pode ser copiado, distribuído, reproduzido, transmitido ou publicado em outros sites desde que mantidas as mesmas referências ao autor e à este Portal (www.PesquisadorModerno.com.br)

Marcadores:

Leia mais!

Quarta-feira, 27 de Agosto de 2008

V FÓRUM ABA RIO DE PESQUISA

Quer saber como as empresas estão utilizando a pesquisa no planejamento de suas estratégias de negócios e comunicação? A Associação Brasileira de Anunciantes (ABA) realiza no dia 10 de setembro o V FÓRUM ABA RIO DE PESQUISA voltado aos gestores de Pesquisa de Mercado, Marketing, Comunicação e Planejamento de empresas anunciantes, além de profissionais da área de Pesquisa de institutos, agências de propaganda e veículos. Conheça a programação.

Programação
V FÓRUM ABA RIO DE PESQUISA
10 de setembro de 2008

:: 8h30/9h00 – Os novos horizontes da pesquisa de mercado no Brasil.
Guilherme Caldas, presidente do Comitê de Pesquisa da ABA e gerente de Pesquisa e Inteligência de Mercado da Michelin para a América Latina.

:: 9h00/10h00 – Caso Elseve de L´Oréal Paris: a pesquisa de mercado e o processo de lançamento de um produto.
Paula Neherer Bento, gerente de Inteligência de Mercado da L’Oréal.
Alessandra Orgler, gerente de Pesquisa de Mercado da L’Oréal.

:: 10h00/10h30 – Intervalo.

:: 10h30/12h00 – Qualidade da pesquisa qualitativa.
Waldir Pilli, diretor de Pesquisa da Larc Pesquisa de Marketing.
Guilherme Caldas, presidente do Comitê de Pesquisa da ABA e gerente de Pesquisa e Inteligência de Mercado da Michelin para a América Latina.

:: 12h00/13h30 – Almoço.

:: 13h30/14h30 – Dimensionando o mercado com métodos estatísticos multivariados.
Rogério Garber, diretor-presidente da RGARBER – Inteligência Competitiva e Estudos de Mercado.

:: 14h30/15h30 – O comportamento de consumo do mercado de alta renda e os cuidados metodológicos da pesquisa junto a esse público.
Celso Grissi, diretor-presidente da Fractal Consulting e Professor da FEA – Faculdade de Economia e Administração da USP.

:: 15h30/16h00 – Intervalo.

:: 16h00/17h00 – Novos horizontes: quando as formigas segmentam os consumidores.
Luiz Sá Lucas, diretor técnico de Pesquisa da IDS - Marketing Intelligence.

:: 17h00/18h00 – Our Green World: estudo global sobre o comportamento e as atitudes ambientais realizado em 17 países.
Lucas Pestalozzi, diretor de Planejamento da TNS InterScience.

Moderador: Guilherme Caldas, presidente do Comitê de Pesquisa da ABA e gerente de Pesquisa e Inteligência de Mercado da Michelin para a América Latina.

Local
Centro de Convenções do Barrashopping. Av. das Américas, 4666 Bloco 7B - 3º Piso da Expansão – Centro Médico - Rio de Janeiro.

Inscrições e Informações
0800 124588 / (11) 3283 4588 / (21) 3385-4096
www.aba.com.br
e-mail: eventos@aba.com.br
____________________________________________________________________
Este texto pode ser copiado, distribuído, reproduzido, transmitido ou publicado em outros sites desde que mantidas as mesmas referências ao autor e à este Portal (www.PesquisadorModerno.com.br)

Marcadores:

Leia mais!

Ibope Inteligência chega ao México

O IBOPE Inteligência acaba de anunciar a abertura de seu mais novo escritório fora do Brasil. O México foi o local escolhido pelo instituto de pesquisa, que também já marca presença na Argentina. O responsável pelo escritório é Brian Martin-Onraët, executivo de Marketing, Propaganda e Pesquisa de Mercado.

Segundo Nelsom Marangoni, CEO do IBOPE Inteligência, cada vez mais os clientes possuem projetos regionais e gostam de realizá-los por intermédio de uma única rede de pesquisa. “Além de atender à demanda do cliente, queremos garantir a homogeneização dos serviços
prestados”, explica Marangoni. A abertura do escritório no México faz parte de um dos objetivos estratégicos da empresa, que é o de expansão regional. O México é o segundo maior mercado de pesquisa da região, ficando atrás apenas do Brasil. O instituto também está de olhos abertos para o Chile.

_______________________________________________________________
Este texto pode ser copiado, distribuído, reproduzido, transmitido ou publicado em outros sites desde que mantidas as mesmas referências ao autor e à este Portal (www.PesquisadorModerno.com.br)

Marcadores: ,

Leia mais!

Terça-feira, 26 de Agosto de 2008

Software brasileiro vai à Lua pela Nasa

Fonte: Terra Tecnologia - Hardware & Software


O software de gerenciamento de pesquisas de mercado QuestManager, da empresa brasileira DomusTec, será levado à Lua como parte da promoção 'Mande o seu nome para a Lua', realizada pela Nasa e encerrada no final de julho.

O programa é um dos milhares de nomes de produtos que serão inseridos num
chip para viajar em outubro com a missão LRO (Lunar Reconnaissance Orbiter) - cujo objetivo é identificar locais de pouso e recursos naturais do satélite da Terra - e permanecer em órbita por muitos anos.


Reprodução/Terra
O QuestManager é um programa que funciona 100% por meio da Internet. Ele permite estudos quantitativos de mercado criando perguntas e respostas para questionários e apresenta como um dos principais diferenciais o suporte a conteúdos multimídia, que dão ao entrevistado a chance de interagir com as questões antes de respondê-las.



Software QuestManager é um dos nomes que vão orbitar a Lua a bordo de sonda da Nasa De acordo com Guilherme Cerqueira, diretor de marketing e vendas da DomusTec, o software é marcado pela facilidade de uso, uma vez que, planejado para servir aos usuários totalmente via Internet, elimina a necessidade de instalação de programas nas máquinas dos clientes e dá às empresas a liberdade para aplicar o questionário a qualquer hora.

O produto pode ser aplicado em call centers, disparo de e-mails, sites, dispositivos móveis, quiosques e ainda abre caminhos para projetos de pesquisa em papel. Segundo a assessoria de imprensa da DomusTec, o QuestManager é um dos nomes que viajarão junto com a sonda, mas não existe nenhuma parceria ou acordo envolvendo o produto entre a empresa e a Nasa.

Redação Terra
____________________________________________________________________
Este texto pode ser copiado, distribuído, reproduzido, transmitido ou publicado em outros sites desde que mantidas as mesmas referências ao autor e à este Portal (www.PesquisadorModerno.com.br) e Portal Terra.

Marcadores:

Leia mais!

Software de pesquisa de mercado no Prêmio Solução Rio Info 2008

O software gerenciador de pesquisas de mercado QuestManager está concorrendo ao Prêmio Solução Rio Info 2008. A premiação tem a finalidade de identificar soluções criadas por empresas produtoras de software e serviços com cases de sucesso em Convergência e mobilidade, Novos Ambientes Tecnológicos, Soluções web, Avaliação de software, Software Profissional e Modelo de Negócios.

Nesta sexta edição do Encontro Nacional de Tecnologia e Negócios, que vai de 30 de setembro e 02 de outubro de 2008 no Hotel Glória, o QuestManager participa nas categorias “Soluções Web e Software Profissional”.

Durante o evento Rio Info 2008 haverá a realização de palestras e oficinas sendo os cases vencedores utilizados como exemplos de tecnologias emergentes e de oportunidades de negócios nacionais e internacionais para empresas de Tecnologia da Informação.


O Rio Info é o principal evento dedicado à Tecnologia da Informação (TI) realizado anualmente no Estado do Rio de Janeiro e um dos principais do país. Reúne empresários, acadêmicos e profissionais que buscam novas oportunidades de mercado e realizam negócios. É um espaço para apresentação de novas idéias e troca de experiências.

O evento é considerado referência no contexto da Tecnologia da Informação no Brasil, onde especialistas e empresários, nacionais e internacionais, apresentam em seminários e workshops o estado da arte da TI, considerando a sua evolução, perspectivas e demandas específicas.
____________________________________________________________________
Este texto pode ser copiado, distribuído, reproduzido, transmitido ou publicado em outros sites desde que mantidas as mesmas referências ao autor e à este Portal (
www.PesquisadorModerno.com.br)

Marcadores: ,

Leia mais!

Guilherme Caldas fala sobre as abrangências das pesquisas

A Associação Brasileira de Anunciantes (ABA-Rio) realizou ontem, 25, o curso de Pesquisa Qualitativa com Guilherme Caldas, gerente de inteligência de marketing para América do Sul, Central e Caribe da Michelin. Além de mostrar a abrangência da pesquisa qualitativa e suas principais aplicações, o executivo ensinou a planejar a pesquisa, discernir sobre a escolha de institutos de pesquisa e maneiras de utilizá-la como ferramenta no processo de decisão. Guilherme Caldas também é colunista do Pesquisador Moderno.
____________________________________________________________________
Este texto pode ser copiado, distribuído, reproduzido, transmitido ou publicado em outros sites desde que mantidas as mesmas referências ao autor e à este Portal (www.PesquisadorModerno.com.br)

Marcadores:

Leia mais!

Editoras investem em pesquisa para agradar leitores

Fonte: Estadão
As revistas estão encolhendo de tamanho. O segmento que mais chama a atenção no gênero, denominado pelas editoras de "pocket", é o das revistas femininas. Na Europa, revistas como a inglesa Glamour, a edição portuguesa da Elle, ou a americana Cosmopolitan adotaram o tamanho menor. Por aqui, o mercado ainda vive fase experimental, mas já tem casos de sucesso. Uma pesquisa quantitativa feita à época do lançamento da Gloss, da Editora Abril, mostrou que o formato era um fator praticamente tão relevante quanto o assunto da capa.



A Gloss, da Editora Abril, nascida em formato pequeno para um público jovem, entre 18 e 28 anos, completa um ano em outubro, com circulação média de 135 mil exemplares por edição. "É uma novidade que teve ótima aceitação tanto do público como dos anunciantes", diz Eliana Bueno, vice-presidente de Mídia da agência de publicidade Giovanni+DraftFCB. "Tenho clientes como a Nívea que fazem questão de veicular seus anúncios nos dois formatos."


Na cola do sucesso da Abril com a iniciativa, a concorrente Editora Globo passou a oferecer também uma versão reduzida da sua revista juvenil Criativa. Desde janeiro, a circulação da publicação dobrou e chegou a cerca de 50 mil exemplares, com a oferta da edição pocket.

O preço menor tem sido um atrativo poderoso. Mas há pesquisas internas das editoras que mostram que o formato também tem o poder de rejuvenescer a marca. Ele atrai principalmente jovens que querem uma revista - pelo menos na sua opinião - diferente das que as mães e tias lêem.

"Na Europa é um sucesso pela facilidade de se ler em transportes públicos", explica a publicitária Eliana, que acredita que a opção pocket feio para ficar."O formato pequeno tem atributos tanto para o público, com a facilidade de carregar para ler em qualquer lugar, quanto para os editores, com a visibilidade que ganha nas bancas de jornais em meio a tanta oferta", diz a diretora-editorial adjunta da Editora Globo, Cynthia de Almeida.

Na avaliação de consultores da área editorial, a adesão do consumidor ao tamanho reduzido pode ser influência da proliferação de novas mídias, que dá maior flexibilidade para a aceitação de inovações no conservador meio impresso. Há também uma questão de custos. Especialistas dizem que essa seria a razão para o encolhimento da revista Rolling Stone que, a partir de outubro, estará menor, nos padrões das atuais revistas semanais de informação. A novidade ainda não tem data para estrear no Brasil.

LANÇAMENTOS
O interesse crescente do leitor faz com que a Editora Globo estude a possibilidade de oferecer a Criativa apenas nesse novo formato a partir de 2009, e também de lançar alternativas reduzidas para duas publicações consagradas em tamanho maior. Em outubro, chegará às bancas a Crescer na versão pocket e, em novembro, será a vez da Marie Claire. Os tamanhos tradicionais serão mantidos.Não há dúvida de que o preço menor das edições menores tem sido um fator importante para impulsionar vendas , levando títulos estagnados a voltar a crescer. Mas, para analistas, esse efeito pode ser prejudicial ao negócio no médio prazo. As edições pocket canibalizariam a versão clássica, sem trazer benefício à receita, já que seu preço é menor.

EXPERIÊNCIA
Há inclusive editoras que fizeram experimentos com versões pocket e desistiram de adotar a novidade para títulos já existentes. O temor é de perda de público da versão clássica, com preço maior, sem o ganho correspondente no formato pocket, suficiente para manter os custos da operação.

"Por quanto estamos simulando estratégias", diz o diretor do Núcleo de Comportamento da Editora Abril, Morris Kachani. "Mas vamos apostar no desempenho da Gloss. A revista atingiu suas metas antes de completar um ano. Já temos um terço das páginas com publicidade. Acreditamos que o formato seria um diferencial para atrair leitores mais jovens, a exemplo do que acontece lá fora, e fomos bem sucedidos."

Kachani não acha, no entanto, que basta encolher as páginas para a revista ganhar um ar moderno. Para o executivo, o design da publicação tem de ser criado para o modelo, assim como o conteúdo. Aliás, pesquisa quantitativa feita à época do lançamento da Gloss mostrou que o formato era um fator praticamente tão relevante quanto o assunto da capa, ou as novidades do mercado.
____________________________________________________________________
Este texto pode ser copiado, distribuído, reproduzido, transmitido ou publicado em outros sites desde que mantidas as mesmas referências ao autor e à este Portal (www.PesquisadorModerno.com.br)

Marcadores: ,

Leia mais!

Sexta-feira, 22 de Agosto de 2008

Prêmio ASSESPRO 2008 - Personalidades do ano"

A Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação, Software e Internet, ASSESPRO, divulgou nesta semana os vencedores do "Prêmio ASSESPRO 2008 - Personalidades do ano". Dentre eles está André Franco Montoro Filho, presidente executivo do ETCO, que receberá homenagem pela categoria terceiro setor.

O processo de escolha dos nomes premiados foi por votação da comissão de premiação. A ASSESPRO é uma entidade de direito privado, sem fins lucrativos, que congrega e representa as empresas brasileiras de tecnologia da informação, software e internet.

A entrega do "Prêmio ASSESPRO 2008 - Personalidades do Ano" será realizada juntamente com o "Prêmio ASSESPRO - Melhores Empresas", no dia 27 de agosto, às 18h30, no Centro de Convenções da Firjan (Av. Graça Aranha, nº 1 - Centro - Rio de Janeiro). O evento é aberto ao público. Para participar, o interessado deve confirmar sua presença pelo e-mail assespro-rj@assespro-rj.org.br.
____________________________________________________________________
Este texto pode ser copiado, distribuído, reproduzido, transmitido ou publicado em outros sites desde que mantidas as mesmas referências ao autor e à este Portal (www.PesquisadorModerno.com.br) e Assespro.

Marcadores:

Leia mais!

Inteligência competitiva: apredendo a identificar e analisar resultados

Este curso apresenta um amplo conjunto de informações acerca das técnicas e práticas relativas às fases de comunicação sensibilização e construção de um sistema de Inteligência Competitiva, este sistema permitirá tomar decisões com base nas pistas emitidas pelo mercado - o que certamente irá auxiliar os gestores na prevenção de uma eventual ação dos concorrentes, reduzindo riscos e custos para a empresa. O treinamento acontece no dia 10 de setembro, no American Business Center, no Centro, Rio de Janeiro.

Cada vez mais, a informação é indispensável para qualquer tipo de negócio, seja a que vem do cliente, do fornecedor ou do competidor. Assim, é necessário que hoje em dia os gestores e executivos, ou seja, as empresas utilizem as informações relevantes ao negócio de forma fácil. Essas informações reunidas e analisadas apoiarão a todos os níveis da organização e, principalmente, auxiliarão aos tomadores de decisão no momento de definir suas estratégias. O curso será ministrado por Elisabeth Gomes e Deborah Leite.

Público Alvo
Diretores e gerentes de Planejamento, TI, Marketing e outros profissionais que têm necessidade de transformar informações em conhecimento para apoiar negócios.

Docentes
Elisabeth Gomes
Doutora em Gestão do Conhecimento e Inteligência Competitiva pela COPPE/UFRJ, mestre em Planejamento pela COPPE/UFRJ e engenheira mecânica pela UCP. Autora de: "Inteligência Competitiva: como transformar Informação em um negócio lucrativo” – 2001, atualizado em 2004, “Gestão de Empresas na Sociedade do Conhecimento” - 2001, ambos da Editora Campus e Gestão Estratégica da Informação e IC da Ed. Saraiva, 2005. Possui dois livros publicados no exterior: “Gestão de Empresas na Era do Conhecimento”. Ed Silabo, 2004, Portugal e Knowledge management and Competitive Intelligence for Nuclear Area, 2004, Ed.IJNKM, França. Possui mais de 15 artigos publicados sobre o assunto em revistas nacionais, internacionais e congressos nacionais e internacionais. É professora da Escola Superior de Propaganda e Marketing, responsável pelas disciplinas Análise de Ambientes de Negócios e Dinâmica do Mercado Digital, desde 2000. É professora da Pós-graduação lato sensu em Inteligência Empresarial e Gestão do Conhecimento da COPPE/UFRJ, responsável pelos módulos de Inteligência Empresarial e Avaliação de Ativos Intangíveis, desde 1999. É professora do MBA em Gestão Empresarial da Universidade Cândido Mendes, responsável pela disciplina Gestão do Conhecimento e Inteligência Competitiva, desde 2000. É professora do Curso de Especialização em Gerência Estratégica da Informação da UFRJ, responsável pela disciplina Inteligência Empresarial, desde 2000. Já participou de vários projetos para implantação da Gestão por Conhecimento e Inteligência Competitiva em empresas públicas e privadas desde 1999, tais como Embratel, Shell, Syngenta, Anatel, Contax, Petrobras, Eaton Trucks, Rede Globo, Itaipu, Sebrae, TIM, entre outras.

Deborah Leite
Publicitária e jornalista, formada pela FACHA, com 15 anos de experiência no mercado de Comunicação, Marketing, Assessoria de Imprensa e Treinamento. Pós-graduada em Marketing pela Gama Filho e autora de artigos publicados na revista BrasilBest. Atualmente gerencia a área de Marketing da TW Services. Já atuou em empresas como Coca-Cola, Fundação Roberto Marinho, Sallum Assessoria de Imprensa, Animus Tecnologia da Informação e DBA Engenharia de Sistemas.

Informações
Data: 10/09 - quarta-feira
Horário: 9h30 às 18h30
Local: American Business Center Endereço, Praça Pio X, 15 - 6º andar - Centro-Rio de Janeiro Departamento de Apoio a Comitês
Juliana/ Bruna
Tel: (21) 3213-9200
E-mail: julianateixeira@amchamrio.com
____________________________________________________________________
Este texto pode ser copiado, distribuído, reproduzido, transmitido ou publicado em outros sites desde que mantidas as mesmas referências ao autor e à este Portal (www.PesquisadorModerno.com.br) e Câmara de Comércio Americana

Marcadores:

Leia mais!

Inteligência Competitiva, Mitos e Oportunidades

Fonte: Baguete Digital/Alfredo Passos

Mitos sempre tiveram lugar na cultura dos povos. Quem nunca se divertiu com as travessuras do Saci Pererê, no percurso obrigatório de um Monteiro Lobato? O problema é quando a fantasia ultrapassa as portas da realidade e uma atividade digna, ética e racional como os serviços de inteligência das empresas acaba se confundindo com as aventuras rocambolescas das novelas policiais.

Assim como na tradição popular, geralmente, uma lâmpada é o bastante para transformar um monstro terrível numa realidade palpável, racional e, no caso presente, extremamente rentável.

Esta deve ter sido a primeira intenção dos profissionais que resolveram somar as suas experiências na elaboração deste compêndio que você tem nas mãos. Provavelmente a necessidade de esclarecimento sobre Inteligência Competitiva, foi tomando a forma de um mapa dessa disciplina, atualizada em encontros regulares mantidos, ao longo dos últimos anos, entre profissionais de várias partes do mundo, igualmente vistos como arapongas, sherloks e outros apelidos pouco lisonjeiros.

Pessoas que, na percepção da maioria, só conhecem através de teleobjetivas e trocam informações por meio de envelopes deixados em bancos de locais públicos. O fato é que as características, objetivos e forma de operação da inteligência competitiva são pouco conhecidas pelas próprias corporações que dela se utilizam e menos ainda pelos gestores que querem levar o país a um novo patamar da economia global, seja no plano de suas competências naturais, como o agro-negócio, a manufatura e a produção cultural, seja no das oportunidades que ainda o aguardam, como os serviços off shore (inclusive na área de tecnologia).

Afinal, o que é Inteligência Competitiva? Uma das atribuições da inteligência competitiva – neste artigo claramente definida como um processo ético, sistemático e analítico (e mensurável) – é justamente, separar o verdadeiro do falso, o preconceito da idéia e a informação do boato, combinando esses ingredientes com os fundamentos da economia, uma visão de conjuntura e a boa percepção de tendências, para transformar ameaças em oportunidades, minimizar riscos ou maximizar investimentos.

Para somar valor às empresas, a inteligência competitiva deve ser encarada como um processo contínuo e não como surtos. Também não deve ser confundida com os sistemas, chamados de business intelligence e que se traduz por um pacote de soluções que pode até ser encarado como uma ferramenta pela área de inteligência da empresa.

É, portando, a associação de elementos diversos – que geralmente incluem até informações convencionais das próprias empresas, como mapas de vendas, planilhas de custos etc – e acima de tudo, as análises dessa massa de informações reconhecidas como relevantes pelo sistema de inteligência da organização que vão determinar o papel tático ou estratégico de uma análise ou recomendação colocada a serviço do tomador de decisão.

A ele, nesse momento, caberá julgar se a informação será ou não capaz de produzir os resultados esperados. Esta é, aliás, a sugestão que eu apresento a você, leitor, que encara este artigo como uma primeira aventura ou àquele que vem em busca dos diferentes prismas de uma atividade até certo ponto mitológica no mundo corporativo: despir-se dos preconceitos e buscar extrair desta expedição as lições que vão ajudá-lo a empregar melhor a inteligência competitiva no seu dia-a-dia.

Ou, quem sabe, confundir-se nessa paisagem, que lhe parecerá cada vez mais lógica e complexa, ainda que indispensável ao mundo dos negócios com o qual nem o Saci Pererê, nem James Bond jamais sonharam.

* Alfredo Passos é professor da ESPM, do Curso de Pós-Graduação em Gestão e Inteligência Competitiva da FACE/PUC-RS. Consultor e Especialista em Inteligência Competitiva da Knowledge Management Company. Autor de Inteligência Competitiva – Como fazer IC acontecer na sua empresa, LCTE Editora.
____________________________________________________________________
Este texto pode ser copiado, distribuído, reproduzido, transmitido ou publicado em outros sites desde que mantidas as mesmas referências ao autor e à este Portal (www.PesquisadorModerno.com.br) e ao Baguete, idealizador da série de artigos Inteligência Competitiva.

Marcadores: ,

Leia mais!

Quinta-feira, 21 de Agosto de 2008

Prêmio Solução Rio Info 2008

[O software gerenciador de pesquisas de mercado, QuestManager, da DomusTec, empresa especializada em soluções para tecnologia em pesquisas de mercado, está concorrendo ao Prêmio Solução Rio Info 2008. A premiação tem a finalidade de identificar soluções criadas por empresas produtoras de software e serviços com cases de sucesso em Convergência e mobilidade, Novos Ambientes Tecnológicos, Soluções web, Avaliação de software, Software Profissional e Modelo de Negócios.]

[Nesta sexta edição do Encontro Nacional de Tecnologia e Negócios, que vai de 30 de setembro e 02 de outubro de 2008 no Hotel Glória, o QuestManager participa nas categorias “Soluções Web e Software Profissional”.

Durante o evento Rio Info 2008 haverá a realização de palestras e oficinas sendo os cases vencedores utilizados como exemplos de tecnologias emergentes e de oportunidades de negócios nacionais e internacionais para empresas de Tecnologia da Informação.

Rio Info

O Rio Info é o principal evento dedicado à Tecnologia da Informação (TI) realizado anualmente no Estado do Rio de Janeiro e um dos principais do país. Reúne empresários, acadêmicos e profissionais que buscam novas oportunidades de mercado e realizam negócios. É um espaço para apresentação de novas idéias e troca de experiências.


O evento é considerado referência no contexto da Tecnologia da Informação no Brasil, onde especialistas e empresários, nacionais e internacionais, apresentam em seminários e workshops o estado da arte da TI, considerando a sua evolução, perspectivas e demandas específicas.]
____________________________________________________________________
Este texto pode ser copiado, distribuído, reproduzido, transmitido ou publicado em outros sites desde que mantidas as mesmas referências ao autor e à este Portal (www.PesquisadorModerno.com.br)

Marcadores: ,

Leia mais!

Terça-feira, 19 de Agosto de 2008

Pesquisa aponta perfil de eventos do mercado

Fonte: Revista Eventos

O setor farmacêutico foi tema de evento realizado recentemente pelo MPI Meeting Professional International que aconteceu, no WTC Hotel, em São Paulo. Adélia Franceschini, diretora da Franceschini Análise de Mercado, mostrou o resultado de uma pesquisa inédita sobre os eventos realizados pelo setor farmacêutico. A pesquisa aponta que 55% dos eventos são focados nas seis especialidades de maior projeção da área médica: ginecologia, cardiologia, pediatria, oncologia, otorrino e psiquiatria.

Segundo a pesquisa, no Brasil são realizados aproximadamente sete mil eventos na área farmacêutica. Para Adélia Franceschini a principal preocupação dos entrevistados é ter bons resultados na operação e organização do evento.

"Nestes sete mil eventos que são realizados anualmente no país, são gastos R$ 320,00 em média para cada um dos 300 mil congressistas; R$ 2.300,00 para cada um dos 32 mil colaboradores; R$ 3.600,00 para os 10 mil propagandistas e R$ 3 640,00 para os mais de 1.000 formadores de opinião. Ao todo são contabilizados dois eventos a cada três dias; onde a principal preocupação dos entrevistados é ter uma boa organização atendendo tanto clientes, como fornecedores", ressaltando que estes números indicam que o setor farmacêutico despende R$ 52 milhões por ano com eventos.

Outra revelação da pesquisa mostrada por Adélia Franceschini foi a de que indústria farmacêutica prefere contratar organizadoras de eventos, 67% para execução dos trabalhos e apenas 33% para o seu planejamento; enquanto realização de serviços, 77% são contratadas para seu planejamento e apenas 8% para determinação do local do evento. Segundo ela, estes dados indicam que “as organizadoras ainda não conquistaram a confiança de seus contratantes”.

A pesquisa também aponta que a grande parte dos locais escolhidos para sediar eventos são hotéis, que ficam com a porcentagem de 40%; espaços para eventos 32%; resorts 27%; centros de convenções 24%; restaurantes 22%, sendo 6% realizados na própria empresa. O número também aponta que o setor farmacêutico dividem-se em: 31% eventos nacionais; 20% eventos regionais e 18% eventos internacionais.

A diretora da Franceschini menciona que a pesquisa serve como oportunidade do mercado farmacêutico relacionar-se e ampliar seu leque de negócios.
____________________________________________________________________
Este texto pode ser copiado, distribuído, reproduzido, transmitido ou publicado em outros sites desde que mantidas as mesmas referências ao autor e à este Portal (www.PesquisadorModerno.com.br)

Marcadores:

Leia mais!

Segunda-feira, 18 de Agosto de 2008

Clima organizacional - um ambiente saudável

A RS Company realizará no próximo dia 22, sexta-feira, o curso de Pesquisa de Clima Organizacional. O objetivo é auxiliar na elaboração de projetos para que, bem definidos, tragam resultados satisfatórios como: aprender a avaliar a qualidade do clima organizacional de uma empresa, sua interferência nas pessoas e nos resultados, além de mensurar resultados e propor planos de ações.

O treinamento será ministrado pela psicóloga Luciana Escarmanhani Avelino, pós-graduada em Administração de Recursos Humanos pela Fundação Getúlio Vargas e especialista em Coordenação de Grupos Operativos pelo Instituto Pichon Rivere.


PÚBLICO ALVO
Profissionais que já atuam na área e desejam aprimoramento profissional no tema. Profissionais que estão iniciando na área de Recursos Humanos e desejam maior conhecimento sobre Pesquisa de Clima.

METODOLOGIAS

erão apresentados conceitos e métodos de pesquisa de clima, com base em experiências vivenciadas pelo facilitador e o que se pratica no mercado. Serão propostos exercícios, modelos, cases sobre pesquisa de clima organizacional e discussões em grupo. A dinâmica do curso está embasada na participação de todos os participantes.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Ambiente Empresarial: missão, visão e valores.
O que é clima organizacional.
Como o clima interfere nos resultados da área e na saúde mental da empresa.
Como fazer o diagnóstico da empresa sobre: ambiente, comportamentos, relacionamento interpessoal, liderança, equipe, políticas, segurança, comprometimento etc.
Comprometimento e envolvimento do corpo Diretivo da empresa, seriedade da pesquisa e sigilo das informações.
Modelos de pesquisa de clima: como elaborar as perguntas, organização do questionário, formulário ou web, cronograma, aplicação.
Marketing na divulgação e comprometimento das lideranças com o RH.
Como analisar os resultados da pesquisa.Divulgação dos resultados para a equipe e para a diretoria.
Como elaborar o plano de ação para as necessidades dos funcionários e da empresa, planejamento, custos envolvidos e divulgação das ações de melhoria.
____________________________________________________________________
Este texto pode ser copiado, distribuído, reproduzido, transmitido ou publicado em outros sites desde que mantidas as mesmas referências ao autor e à este Portal (www.PesquisadorModerno.com.br)

Marcadores:

Leia mais!

Quarta-feira, 13 de Agosto de 2008

Blogs ajudam consumidores a formar opinião sobre um produto ou serviço

O Instituto Qualibest acaba de finalizar um estudo sobre os hábitos e costumes dos internautas brasileiros, no que diz respeito aos blogs. Entre os entrevistados (1820 entrevistas, em todo o Brasil, com homens e mulheres, classes ABCD, com idade de 18 anos ou mais), 12% acreditam totalmente e 86% acreditam parcialmente nas informações que encontram em um diário virtual.
Os sites de busca (48%) e recomendações de outras pessoas (30%) foram as maneiras mais citadas para se conhecer um blog novo.

____________________________________________________________________
Este texto pode ser copiado, distribuído, reproduzido, transmitido ou publicado em outros sites desde que mantidas as mesmas referências ao autor e à este Portal (www.PesquisadorModerno.com.br)

Marcadores: ,

Leia mais!

FGV: inscrições abertas para MBA à distância

O FGV Online está com inscrições abertas para o MBA Executivo em Marketing a distância. O curso tem duração de um ano e dez meses, com carga horária de 410 horas, das quais 60 correspondem a quatro seminários presenciais (palestras, estudos de caso, jogos de negócios e avaliações interdisciplinares). A aula inaugural presencial da turma do Rio de Janeiro está marcada para o dia 5 de setembro e a de São Paulo para o dia 12 de setembro.

Entre as disciplinas que compõe o curso estão Comportamento do Consumidor, Fundamentos de Marketing, Gestão da Comunicação, Gestão de Produtos e Marca, Pesquisa de Mercado, Inteligência Competitiva, entre outras. Para cada disciplina, há avaliações online, com atividades individuais e em equipe. Durante todo o MBA, o desempenho dos alunos é acompanhado por professores-tutores treinados para tirar dúvidas e mediar os debates. Mais informações: (21) 2197-5100.
____________________________________________________________________
Este texto pode ser copiado, distribuído, reproduzido, transmitido ou publicado em outros sites desde que mantidas as mesmas referências ao autor e à este Portal (www.PesquisadorModerno.com.br)

Marcadores:

Leia mais!

Pesquisa de Mercado: o que se faz com ela?

Fonte: Abep

Este curso define os conceitos da pesquisa e sua utilidade para a tomada de decisões de uma organização. Estuda o processo de pesquisa e aborda questões de Ética e Qualidade. Também aborda as condições em que a pesquisa de marketing pode e deve ser utilizada, quais as alternativas existentes e como interpretar e aplicar seus resultados. Para transmitir estes princípios, a ABEP conta com a instrutora Rosana Couto (Veritas Research) que, além de experiência acadêmica e didática, levará aos alunos sua competência técnica e vivência de mercado. O desenvolvimento é de Magali Moraes Freire e coordenação de Maximiliano Herlinger.

Objetivos
- Reconhecer a informação como fundamental para o processo de tomada de decisão em marketing;
- Entender o papel da pesquisa de marketing;
- Elaborar um briefing de pesquisa de marketing;
- Identificar as etapas de uma pesquisa;
- Relacionar os diferentes tipos de pesquisa às estratégias de marketing;
- Caracterizar o uso das diferentes metodologias;
- Utilizar os resultados;
- Reconhecer a relevância da ética e da qualidade na pesquisa de marketing.

Público-Alvo
Profissionais das áreas de pesquisa, marketing e demais interessados, com formação universitária, com ou sem experiência na área. A estrutura prevista para o curso considera o perfil de cada turma formada, seja na carga horária destinada a cada parte, seja na discussão e aplicação das ferramentas apropriadas.


Conteúdo Programático
O Marketing e o processo de tomada de decisão
A pesquisa de marketing.
O processo de pesquisa de marketing
O briefing.
O planejamento da pesquisa
Os diversos tipos de pesquisa: a pesquisa exploratória e a pesquisa conclusiva
As pesquisas qualitativas.
Técnicas projetivas
As pesquisas quantitativas.
A amostra
A pesquisa adhoc e as pesquisas contínuas: store audit/ home audit / audiência
A execução da pesquisa.
Os instrumentos de coleta de informações.
Questionários e roteiros.
Escalas.
Entrevistas e observação.
O campo.
O processamento das informações.
A análise dos resultados.
As conclusões e recomendações
As aplicações da pesquisa
A ética na pesquisa de marketing

Informações Gerais
Data e horário
06 a 08 de novembro de 2008
Dia 06: das 19 horas às 22h30 Dias 07 e 08: das 9 horas às 18h30 Local: São Paulo ]
____________________________________________________________________
Este texto pode ser copiado, distribuído, reproduzido, transmitido ou publicado em outros sites desde que mantidas as mesmas referências ao autor e à este Portal (www.PesquisadorModerno.com.br)

Marcadores:

Leia mais!

A importância da pesquisa antes da campanha

Fonte: Meio e Mensagem

Para Peter Krieg, co-fundador da Copernicus Marketing Consulting, pesquisa de mercado antes da campanha é melhor e menos custosa maneira para se determinar o target e avaliar os resultados obtidos sobre o investimento feito pelo anunciante.

A terceira edição do fórum internacional ABA ROI recebeu a visita de Peter Krieg, co-fundador da Copernicus Marketing Consulting, que apontou a intensa pesquisa antes da campanha como melhor e menos custosa maneira para se determinar o target de maneira mais apurada e com melhores resultados obtidos sobre o investimento feito pelo anunciante. E isso, num ambiente cada vez mais multimídia, em que as diferentes disciplinas devem ser utilizadas em parceria.

Para Krieg, uma campanha pode ser considerada bem sucedida se apresentar apenas um resultado excelente de ROI, e não apenas 50%, por exemplo, o que evita perdas que seriam de, a cada dólar investido, 32 centavos em impresso, 35 em trade marketing, 50 em rádio e 51 em TV.

Ele apontou cinco problemas essenciais na maneira como é estudado e determinado o ROI. O primeiro é a falta de medição, o que impossibilita o gerenciamento do fenômeno. O outro é o chamado chute no escuro, no qual se estuda o quê, o onde, mas se esquece do principal, o quem. "Três ou quatro pessoas buscam entender o consumidor e acabam criando um monstro, que está longe do target real", exemplificou Krieg, deixando claro que há também a possibilidade de se expandir este target: "É sedutor trazer novas pessoas para seu produto, ampliando as oportunidades de lucro".

O terceiro problema é a falta de posicionamento do produto, que sempre precisa de uma razão de ser. Krieg citou que apenas 8% de pessoas disseram numa pesquisa algo relevante sobre as duas marcas líderes em cinco categorias de produtos. "E não estamos falando de marcas pequenas", lembrou, citando a Skol como um exemplo positivo de associar o produto ao público-alvo.

Ainda na lista esta o fato de que deve haver uma seleção de várias idéias, antes da real aplicação de uma delas. Das pré-escolhidas, algumas devem ser testadas em pesquisas (esta uma palavra recorrente na palestra) qualitativas para que possam ser aplicadas. E, por fim, existe a questão da falta de tempo para este pré-teste, que é importantíssimo para uma estratégia vencedora. "O fato é que as pessoas dizem que não tem tempo, mas acabam sempre refazendo as coisas, e perdendo tempo", sintetiza Krieg.
____________________________________________________________________
Este texto pode ser copiado, distribuído, reproduzido, transmitido ou publicado em outros sites desde que mantidas as mesmas referências ao autor e à este Portal (www.PesquisadorModerno.com.br)

Marcadores:

Leia mais!

Terça-feira, 12 de Agosto de 2008

Pesquisa de opinião: rir é o melhor remédio.

Rir é o melhor remédio, certo? Certo. E além de ser o melhor remédio para a vida, é também uma boa tática para arrumar e se manter no emprego. Uma pesquisa de opinião realizada nos Estados Unidos mostrou que 98% dos presidentes de grandes empresas preferem, na hora da contratação, um candidato com senso de humor a um outro que demonstre menos simpatia. O levantamento contou com 737 diretores, e destacou ainda que locais de trabalho divertidos influenciam positivamente nos lucros.

Uma outra pesquisa quantativa bem-humorada verificou que, entre mil trabalhadores, aqueles que riem mais permanecem mais tempo no emprego. O bom humor vale também para os chefes: os mais simpáticos têm a capacidade de fazer com que um grande talento se mantenha na equipe.

Grandes líderes bem-humorados fazem do escritório um ambiente mais leve. A Google, por exemplo, uma das maiores empresas do mundo, organiza campeonatos de hóquei sobre patins no estacionamento duas vezes por semana. Como se não bastasse, ainda promove um campeonato de Palavras Cruzadas ao longo do dia e tem um piano no refeitório.

O ato de rir não só garante prosperidade na carreira como também uma boa saúde. De acordo com um estudo da Universidade de Maryland, o estresse reduz o fluxo sanguíneo, enquanto que o humor o eleva em 22%. Resultado: menos chance de ter um ataque cardíaco.

*Com informações do Portal do Administrador.
____________________________________________________________________
Este texto pode ser copiado, distribuído, reproduzido, transmitido ou publicado em outros sites desde que mantidas as mesmas referências ao autor e à este Portal (www.PesquisadorModerno.com.br)

Marcadores: ,

Leia mais!

Pesquisa de mercado aponta interesse em atuar no Brasil

Boas expectativas econômicas e um alto valor agregado ao currículo pela realização de um MBA no exterior são os principais motivos que fazem com que brasileiros retorne ao país logo após o término do curso. De acordo com a pesquisa realizada pela GNext Talent Search 61% dos alunos que fazem MBA’s no EUA pretendem retornar ao Brasil após a conclusão do curso. Aliar crescimento e satisfação profissional com realização pessoal faz com que 48% dos entrevistados se interessem em voltar para o Brasil. Já 8% não querem voltar ao país, pois desejam aquisição de cultura além de relatarem questões pessoais.

O levantamento foi realizado por Denise Barreto, diretora da GNext, e pela Consultora Juliana de Lacerda, durante o mês de novembro de 2007. A equipe entrevistou 49 alunos - num universo de 100 - de conceituadas escolas de negócios dos EUA (de acordo com o ranking do Financial Times 2007).

A amostra foi definida de acordo com a disponibilidade dos indivíduos identificados numa pesquisa quantitativa primária. “Tivemos como principal objetivo a observação do perfil do aluno brasileiro que optou por realizar um curso de MBA no exterior”, explica Denise.A executiva conta que a pesquisa apontou características relevantes dos perfis desses jovens profissionais com alto potencial de desenvolvimento.

“Primeiro, por exemplo, podemos citar o fato de que 92% dos entrevistados que responderam à pesquisa estão na faixa etária de 25 a 32 anos e 79% na faixa dos 28 a 32 anos. Ou seja, são ainda bastante jovens, ocupam posições de Analistas ou mesmo de Gerentes ainda juniores, e contam com o MBA com um fator de possível aceleração de carreira”, afirma.“Outro fator importante para análise é que 63% dos pesquisados vieram de escolas de graduação públicas, o que nos leva a concluir que as escolas públicas ainda apresentam formação diferenciada se comparadas com as privadas.

Geralmente, nos processos seletivos dos cursos de MBA do exterior, as escolas públicas têm grande prestígio e, por isso, peso maior na classificação”, avalia.Quando questionados sobre como avaliam o curso de MBA no exterior, 100% dos consultados consideram um MBA no exterior de maior valor para a carreira se comparado com um curso de negócios em instituições nacionais. Entre os motivos, os alunos apontaram a credibilidade desses MBA’s no mercado de trabalho brasileiro e a rede de relações estabelecida durante o curso.

Fonte: Portal dos Administradores
____________________________________________________________________
Este texto pode ser copiado, distribuído, reproduzido, transmitido ou publicado em outros sites desde que mantidas as mesmas referências ao autor e à este Portal (www.PesquisadorModerno.com.br)

Marcadores:

Leia mais!

Sexta-feira, 8 de Agosto de 2008

Perfil online da classe C

Fonte: Meio&Mensagem

Uma pesquisa de mercado apresentada pela e-bit durante o primeiro Search Marketing Expo do Brasil, que começou nesta quinta-feira, 7, mostrou o perfil dos consumidores online pertencentes à classe C. Segundo os dados, no primeiro semestre de 2008, entre os consumidores de baixa renda, 53% eram mulheres, 82% possuíam renda familiar de até R$ 3 mil e a idade média era de 35 anos. De acordo com Pedro Guasti, diretor geral da consultoria, os principais motivadores para a efetivação das compras online foram os sites de buscas (23%), promoção por e-mail (10%), recomendação de amigos (9%) e sites de comparação de preços (7%). "Cerca de 30% dos motivadores estão na própria internet, o que aumenta a percepção de que é preciso ter boa presença online para vender", diz o diretor.

Entre outras constatações, a e-bit apontou que 76% das compras foram feitas em benefício próprio, enquanto 18% foram para presentear alguém. Entre os produtos mais vendidos estão: informática, com 13,5%; telefones celulares, com 8,7%; e produtos eletroeletrônicos, com 8,5%. O valor do ticket médio ficou em R$ 252, e o parcelamento das compras também foi observado, uma vez que 22% foram divididas em mais de nove vezes.
____________________________________________________________________
Este texto pode ser copiado, distribuído, reproduzido, transmitido ou publicado em outros sites desde que mantidas as mesmas referências ao autor e à este Portal (www.PesquisadorModerno.com.br)

Marcadores: ,

Leia mais!

Quarta-feira, 6 de Agosto de 2008

Pesquisa aponta que Internet Banking cresceu 20%

Estudo realizado pelo Instituto de Pesquisas Fractal junto às classes A, B e C aponta um aumento do uso de Internet Banking de aproximadamente 20% ao ano, sobretudo no público com renda inferior a R$ 2.500,00, que corresponde a 50% da amostra de 14.540 pessoas ouvidas. De acordo com o levantamento, 90% dos internautas consideram os serviços prestados on-line suficientes para atender suas necessidades e desejos. Quase 50% do contingente utiliza esses serviços de uma ou duas vezes por semana, principalmente para consultas a extratos (76,6%). Em seguida, vêm as consultas a saldos (72,8%) e, depois, o pagamento de contas com fichas de compensação (55%), pagamento de contas de concessionárias (51,2%) e consulta a extrato de pagamento de cartão de crédito (48,8%).

Aplicações via Web
Um total de 15% a 20% dos entrevistados pela Fractal disseram que realizam aplicações financeiras via Internet. Nos empréstimos, cerca de 40% têm o hábito de simular suas transações, porém um porcentual baixo as realiza, de fato, via web.


Ranking de Serviços Utilizados
1º) Consultas de extrato – 76,6%
2º) Consulta de saldos – 72,8%
3º) Pagamento de contas com ficha de compensação – 55%
4º) Pagamento de contas de concessionárias (telefone, água, gás, luz, etc) – 51,2%
5º) Consulta de extrato de pagamento de cartão de crédito – 48,8%

Ranking de Acesso por Renda
Até R$ 800 – 13,4 %
De R$ 800 a R$ 1.500 – 27%
De R1.500 a R$ 3.000 – 27,6%
De 3.000 a R$ 5.000 – 17,4%
De 5.000 a R$ 8.000 – 9%
Acima de 8.000 – 5,6%

Internet Banking Custa Até Dez Vezes Menos
Segundo o estudo do instituto Fractal, cada transação em uma agência bancária custa para o banco, em média, R$ 1,80 a R$ 2,00, levando-se em consideração o tipo de banco e público que ele atende. No Internet Banking, essas mesmas transações chegam a custar 10 vezes menos.
____________________________________________________________________
Este texto pode ser copiado, distribuído, reproduzido, transmitido ou publicado em outros sites desde que mantidas as mesmas referências ao autor e à este Portal (www.PesquisadorModerno.com.br)

Marcadores: ,

Leia mais!

Pesquisa de mercado aponta grau de pirataria de Softwares

Segundo o 5º. Estudo Anual Global de Pirataria de Software, apresentado pela Business Software Alliance (BSA) em maio deste ano, os prejuízos decorrentes da pirataria de software no Brasil somam a quantia de US$ 1,617 bilhão. A pesquisa foi conduzida pela IDC, empresa de pesquisa de mercado e previsões do setor de tecnologia da informação.

A redução da pirataria de software nos próximos quatro anos no Brasil poderia gerar um mercado de Tecnologia da Informação mais forte, agregando até 2011 11,5 mil novos empregos, US$ 2,9 bilhões em receita para a indústria local e US$ 389 milhões adicionais em impostos.

Os programas da BSA fomentam a inovação em tecnologia por meio de iniciativas de educação e políticas que promovem proteção de direitos autorais, segurança cibernética, comércio internacional e eletrônico.

Os membros da BSA incluem Adobe, Apple, Autodesk, Avid, Bentley Systems, Borland, CA, Cadence Design Systems, Cisco Systems, CNC Software/Mastercam, Dell, EMC, Entrust, HP, IBM, Intel, McAfee, Microsoft, Monotype Imaging, PTC, SAP, SolidWorks, Sybase, Symantec, Synopsys, The MathWorks e UGS.
____________________________________________________________________
Este texto pode ser copiado, distribuído, reproduzido, transmitido ou publicado em outros sites desde que mantidas as mesmas referências ao autor e à este Portal (www.PesquisadorModerno.com.br)

Marcadores: ,

Leia mais!

Terça-feira, 5 de Agosto de 2008

Clima Organizacional e Pesquisa de Satisfação

Por que fazer e qual a validade de uma pesquisa de satisfação interna? Por mais simples que esta pesquisa possa ser, ela só terá validade se o seu resultado for utilizado de forma objetiva, não apenas para satisfazer metas ou requisitos da empresa. Nesta situação corremos o risco de causar prejuízos ao clima organizacional.

Quando uma empresa pergunta aos seus funcionários a visão que eles estão tendo sobre aspectos do clima organizacional, tais como: ambiente e condições de trabalho, benefícios oferecidos, o grau da comunicação, sua forma de relacionamento e participação com sugestões, a empresa deve saber administrar as respostas que não vierem ao encontro das suas expectativas.

Saber ouvir e administrar frustrações é tarefa de todo bom administrador de uma empresa, esteja ele em qualquer nível de comando. Há grande diferença em aplicar uma pesquisa e não levar em consideração as respostas dos seus funcionários, da situação de dar respostas, apresentar propostas ou pedir sugestões.

E como proceder com as respostas à pesquisa que mostram o desacordo entre a empresa e o grau necessário de satisfação dos seus funcionários? A empresa deve, para o bem de manter o clima organizacional no mínimo no patamar em que está, traçar um plano de metas antes de realizar a pesquisa.

Estabelecer um valor mínimo desejável quanto à satisfação dos funcionários, ditar um grau aceitável; quando este valor não for atingido, a empresa deve contabilizá-lo e traçar Planos de Ação para atender os fatores indicados nas respostas abaixo da meta estipulada; monitorar a manutenção do clima da organização verificando, no mínimo uma vez ao ano, se os funcionários mantêm-se satisfeitos; após atingir o valor estipulado, traçar novo objetivo.

Assim, antes de aplicar uma pesquisa, o administrador deve avaliar a real possibilidade de utilizar as informações que receber e de que terá meios de dar as respostas às questões relevantes. Sem esta condição, ou seja, se a pesquisa for realizada e não resultar em reciprocidade, a empresa perde credibilidade em suas ações e põe em situação indesejável o clima organizacional da empresa.

Fonte: Qualitá Consultoria e Desenvolvimento LTDA.
____________________________________________________________________
Este texto pode ser copiado, distribuído, reproduzido, transmitido ou publicado em outros sites desde que mantidas as mesmas referências ao autor e à este Portal (www.PesquisadorModerno.com.br)

Marcadores: ,

Leia mais!

Segunda-feira, 4 de Agosto de 2008

Pesquisa mede satisfação de clientes do setor moveleiro do Sul

Fonte: Portal da Admistração / Administradores.com.br

Uma parceria com o curso de Administração da Universidade Regional Integrada (URI) do Alto Uruguai e Missões (Campus de Santiago) irá propiciar a cinco indústrias de móveis sob medida a possibilidade de saber o quanto seus clientes estão satisfeitos com os serviços e produtos oferecidos. A pesquisa está sendo desenvolvida por alunos da disciplina de Fundamentos de Marketing, do quarto semestre do curso, e abrange os clientes de três empresas de Santiago e duas de Jaguari, no Rio Grande do Sul. A previsão é de que os resultados sejam apresentados em novembro deste ano.

Os empreendimentos integram o Pólo de Desenvolvimento Moveleiro da Região Centro, Fronteira Oeste e Campanha. O projeto é impulsionado pelo Sebrae no Rio Grande do Sul, pela Prefeitura Municipal de Santa Maria, pelo Ministério da Integração Nacional, pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). De acordo com o gestor do pólo, Márcio Rebelatto, o objetivo do projeto para este ano é o desenvolvimento de processos de gestão e de tecnologia direcionados às empresas.

“A realização da pesquisa foi demandada pelo próprio grupo de empresas de Jaguari e de Santiago com o objetivo de estabelecer estratégias para melhor atender a seus clientes e fidelizá-los. A realização do trabalho pela URI garante a imparcialidade do trabalho”, explica o consultor do Sebrae/RS, Rodrigo Belmonte. O trabalho tem como objetivo levantar informações sobre os produtos e serviços que as empresas vêm desenvolvendo e o grau de satisfação de clientes.

“A atividade também estimula a troca de experiência entre empresários e alunos”, salienta Belmonte. Os estabelecimentos de Santiago participantes do pólo têm entre 12 e 15 colaboradores. Os de Jaguari são de porte menor, de três a seis colaboradores.

O pólo compreende 36 empresas, divididas em três grupos: Jaguari e Santiago; Santa Maria e Caçapava do Sul; e da Quarta Colônia, que abrange os municípios de Faxinal do Soturno, Nova Palma, Agudo, Silveira Martins e Dona Francisca. Rebelatto afirma que há possibilidade de a pesquisa ser ampliada para os outros dois grupos.
____________________________________________________________________
Este texto pode ser copiado, distribuído, reproduzido, transmitido ou publicado em outros sites desde que mantidas as mesmas referências ao autor e à este Portal (www.PesquisadorModerno.com.br)

Marcadores:

Leia mais!

Sexta-feira, 1 de Agosto de 2008

Luiz Sá Lucas no Conta Corrente Especial

O engenheiro Luiz Sá Lucas, da empresa de pesquisas IDS Market Analysis, foi um dos convidados do programa Conta Corrente Especial sobre "Inovações nas pesquisas de consumo", junto com Letícia Casotti, do Instituto Coppead. O programa foi ao ar neste último final de semana e estará disponível em vídeo no site da GloboNews, a partir de amanhã, dia 02. Ele é o Chairman do 4º Congresso Brasileiro de Pesquisa de Mercado, Opinião e Mídia, que será realizado em 2010, e colunista do Pesquisador Moderno.
____________________________________________________________________
Este texto pode ser copiado, distribuído, reproduzido, transmitido ou publicado em outros sites desde que mantidas as mesmas referências ao autor e à este Portal (www.PesquisadorModerno.com.br)

Marcadores:

Leia mais!

Agências de Publicidade terão que investir em Pesquisa de Mercado

Uma das propostas debatidas durante o 4º Congresso Brasileiro de Publicidade inclui a tese “Eficácia no Planejamento e Compra de Mídia”, que propõe às agências de publicidade que elas invistam 1% de suas receitas na compra de pesquisa de mídia, também conhecida pesquisa de mercado.

A edição do congresso aconteceu após 30 anos e contou com diversos nomes fortes do mercado entre eles Danton Pastore, Eduardo Fischera, Gilberto Leifert, Daniel Barbará, Efraim Kapulski, João Saad, Ricardo Nabhan, Luiz Lara, Cyd Alvarez e José Roberto Whitaker Penteado, além de participações como a do jornalista Anselmo Góis (O Globo).

Ao final, seu presidente, Dalton Pastore, leu a tese geral enfatizando três pontos: repúdio à censura, ao desgaste das concorrências e aos contratos leoninos. Sua aprovação foi por aclamação, em plenária que contou com a presença de 800 pessoas. (Foto: Divulgação IVCBP)



____________________________________________________________________
Este texto pode ser copiado, distribuído, reproduzido, transmitido ou publicado em outros sites desde que mantidas as mesmas referências ao autor e à este Portal (www.PesquisadorModerno.com.br)

Marcadores: ,

Leia mais!